Grátis: pesquisa traça perfil do viajante brasileiro

pesquisa

Qual foi o comportamento do turista durante a pandemia e quais são suas preferências de viagens para os próximos meses? Duas empresas buscaram as respostas por meio de uma pesquisa divulgada recentemente e que você pode baixar gratuitamente. O link está no final deste artigo.

Durante o ano de 2020 e o começo deste, vimos cenas incomuns, como aeroportos e atrações turísticas vazias em todo o planeta, indo das Cataratas do Iguaçu, no Paraná. à Torre Eiffel, em Paris, França. Para quem tem amor pelas viagens, essa privação foi bastante complicada. Para quem trabalha e vive do turismo, a situação foi bastante desesperadora, tanto por questões de saúde como financeiras.

Com o avanço da vacinação, a retomada começa a ocorrer aos poucos e anima os brasileiros que estão doidos para viajar novamente. A Opinion Box, uma empresa especializada em pesquisas de opinião, e a Matcher, que atua em oportunidades de negócio no turismo, resolveram mapear as características dessas pessoas, sobre o que fizeram durante a pandemia como em relação ao que estão programando. Confira:

(Bem) menos viagens e mais próximas

A pesquisa reuniu 2.070 entrevistados que, antes da pandemia, tinham o costume de viajar pelo menos uma vez por ano. Desde que a pandemia começou (o momento considerado é fevereiro de 2020), quatro em cada 10 pessoas não realizaram nenhuma viagem. E cerca de 30% realizou apenas uma.

O brasileiro também optou por viajar por curtas distâncias e meios terrestres, como carros, motos ou ônibus. Dos entrevistados, 41% se afastou até 300 quilômetros de sua residência, 39%, até 900 quilômetros e 22%, por mais do que essa distância. Apenas 32% entraram em uma aeronave para viajar pelo Brasil, enquanto que 6% saíam do país. Claro, o fato de países vizinhos estarem com restrições durante um bom tempo contribuiu para isso.

A retomada

Com a vacinação sendo aplicada desde meados de janeiro, o cenário é outro para os próximos meses, sobretudo para 2022. No momento em que a pesquisa foi concluída, no começo de agosto, 7 em cada 10 brasileiros adultos já haviam tomado pelo menos a primeira dose. Tudo indica que serão cumpridas as promessas de se vacinarem ao menos todos os adultos até o final do ano.

Assim, apenas 3% NÃO pretendem viajar nos próximos 12 meses, enquanto que 19% não decidiram. Entre os motivos, 42% ainda não consideram seguro viajar por causa da pandemia. Outros 30% alegam desconforto financeiro para arcar com os custos de uma viagem. Por fim, 25% sequer pensou nisso, de acordo com a pesquisa.

Para onde

A boa notícia para quem empreende em turismo no Brasil é que quase 80% dos entrevistados pretendem viajar dentro do próprio país, a maioria para outros estados. E, se durante a pandemia, a locomoção por dia terrestre dominou, agora a preferência é ir pelo ar. Quase 60% pretende viajar de avião.

Uma parcela dos entrevistados (16%) já está com tudo planejado. O resto se divide entre quem nem começou (15%), está pesquisando destinos (29%), já decidiu mais ainda não efetuou reservas (33%) ou está em processo de fechá-las. Então, é uma boa hora de promover seus atrativos, sejam eles de turismo, lazer ou entretenimento.

É bom também ficar por dentro de onde os seus potenciais clientes estão buscando informações sobre seus próximos destinos. Confira este gráfico extraído da própria pesquisa:

destinos

Ou seja, é muito importante que a sua empresa esteja com seus canais digitais bem trabalhados. Isso inclui o site, fundamental para quem deseja ser encontrado no Google, e as redes sociais, que hoje são o principal meio de você divulgar o seu negócio. Caso você precise de ajuda profissional com isso, entre em contato.

Orçamento para viagens

A pesquisa trouxe também outro aspecto importante que diz respeito ao orçamento para viagens. Quase um terço dos entrevistados junta dinheiro ao longo do ano, enquanto que mais ou menos a mesma proporção começa somente quando decide viajar. Um quarto só planeja passear quando tem dinheiro suficiente, enquanto que 9% afirma ter renda suficiente para dispensar planejamento.

O resto não costuma se organizar financeiramente. De qualquer maneira, quase metade “dá um jeito” de viajar mesmo quando o orçamento está apertado. E quase 70% acredita que passar não precisa ter um custo muito elevado. Inclusive, para 62%, a pandemia fez perceber que “gastar dinheiro com viagens vale mais a pena do que comprar bens materiais”.

Baixe a pesquisa de graça

A pesquisa coletou informações entre julho e agosto deste ano. O público mais propenso a viajar está localizado na região Sudeste, com 49% dos entrevistados, seguido do Nordeste (23%), Sul (14%), Centro-Oeste (8%) e Norte (6%). .

Entre as classes sociais, as classes C, D e E predominam na pesquisa, com 81%. Depois, 19% são considerados classe A e B no Brasil. O público majoritário tem entre 30 a 49 anos, com 48% dos entrevistados.

Clique aqui para baixar a pesquisa gratuitamente